Wednesday, January 18, 2012

Stratocaster: Captadores de ponte.... Parte 2

O Rock Surf 43 é um captador desenvolvido pelo mestre Sérgio Rosar com o intuito de replicar a sonoridade característica da Surf Music dos anos 60 (pense no ataque de uma Jaguar) e não clonar de nenhum modelo existente.



Para desenvolver o ataque na linha de médios bem característico do estilo, o Sérgio utilizou o fio 43Awg (que é mais fino que o tradicional 42AWG), aumentou o número de espiras na bobina e deixando-a mais próxima do centro magnético, gerando um campo que favorece o ataque de médios. O resultado é uma sonoridade que mantém o bom DNA de um single de strato, mas com mais carne e força sonora. O que eu não sabia é que ele se destacaria tanto na posição de ponte, e viria a ser minha opção #1 dessa posição.
Os quase 10k de resistência DC, inductância de 4.3H (quase o dobro de um single clássico) e um pico de ressonância por volta de 4kHz (o famoso Seymour SSl-1 tem pico de 10khz), me dizem que ele tem mais potência, mais corpo e soa menos estridente que um single clássico. Em linhas mais gerais ele se assemelha com o SSL-5 mas tem um foco de ataque numa linha médio-aguda da EQ e um gaves mais compactos e em menor quantidade. Isso garante ao RockSurf 43 a definição e clareza de um single clássico sem soar estridente e ao mesmo tempo um pouco mais de corpo em situações com algum ganho. A sonoridade fica quaaasseee (eu disse quase) na linha de uma tele, justamente pela faixa de médios e ataque acentuado.

Em situações ao vivo ele fatia a banda no meio e acerta a plateia em cheio sem muito esforço, soando definido e agradável. Solos e bases rockeiras falam de maneira muito legal e até algum twang aparece caso você encarne o Frusciante numa gig.

Para fins comparativos, gravei as mesmas frases do SSL-5 do post anterior com os mesmos setups para que as diferenças sejam mais claras:

Clean:


Crunch:



Resultado: Se você quer um pouco mais de ataque de médios e corpo sonoro na posição da ponte? Equilibrar sua strato com singles de baixo ganho mantendo ao máximo a sonoridade clássica? O RockSurf 43 do Sérgio Rosar é uma excelente saída!!

30 comments:

  1. Excelente postagem!


    Só uma dúvida... que set de captadores você recomendaria pra casar com o rock surf 43, levando em conta que eu procuro um timbre mais puxado pra caras como Hendrix, SRV, Frusciante, etc...


    Abs

    ReplyDelete
  2. Oi Anonymous.

    O RockSurf 43 de ponte casa perfeitamente com qualquer modelo mais vintage que vc preferir. Eu gosto muito do Rosar VintageHot pra sons um pouco mais fortes e do Fullerton pra sons mais cristalinos e limpos. O Fender Custom69 é excelente pra aquele som estalado e percussivo tradicional. As variações na Strato são muitas, só vc escolher que variação de sonoridade deseja ! :-)

    ReplyDelete
  3. Fala Júnior, tudo bem? Quem te indicou pra mim foi o Paulo May, disse que vc saca tudo de Seymour DUncans eheheh. Aliás parabéns pelo blog, não conhecia, mas gostei bastante.

    Seguinte, vou pra miami semana que vem e vou aproveitar pra compra captadores pra teleca que estou tunando, uma sx american alder bem bacaninha. Estou em dúvida entre o stl-1b (mais equilibrado e com drive mais definido) e o vintage 54 (mais brilhoso e com menos saída, mais magrinho) pra ponte. Gostei mais do sample do stl 1b, pois não gosto muito de guita estridente, aliás por isso mesmo optei por alder ao invés de ash. Mas estou com medo de ficar mais abafado que o esperado, pois sei que os samples provavelmente foram feitos com telecas de ash.

    E aí será que o vintage 54 combinaria melhor com o alder do que o broadcaster (1b)? E nesse caso qual capacitor vc me recomendaria, o pio ou um orange de polipropileno?

    Valeu e desculpa a perturbação aí!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Anderson,
      Tanto o Vintage 54 quanto o Broadcaster são agudos, sendo que o Broadcaster tem um pouco mais de força (um pouco mais de corpo e de médios) mas ainda assim é agudo. Acho que dos caps da Seymour 'que não soa agudo e retém o twang de tele é o Jerry Donahue. Eu recentemente comprei um desses depois de ler tantas reviews positivas nos forums gringos só pra testar e gostei bastante. Outra opção excelente é o Sergio Rosar Vintage Hot, que é nacional mas MUITO BOM! O Rosar fez eu colocar o broadcaster de volta na sua caixinha!! :-)

      Na tele a ponte tem uma influência bem significante no timbre. No final se semana vou publicar um post sobre isso no Blog. Se vc vai viajar, acho legal vc colocar no orçamento comprar uma BOA ponte!

      Obrigado pelo comentário!

      Delete
    2. Já ia esquecendo!! Com tele eu estou com o Paulo, capacitor PIO! :-)

      Delete
    3. Opa, obrigado brother. Pois é tem o rosar. Acho que vou comprar os sd e chegar aqui compro o rosar, e se eu gostar mais deles vendo o sd, já que tem valor de mercado alto aqui no brasil, daí ele paga o rosar e ainda sobra.

      A ponte estou pensando na compensada com carrinhos de latão da wilkinson, será que é boa? A original que veio na guita da sx é muito ruim, a mizinha e a si ficam com som UÉÉÉUUUM se vc me entende ehehehe.

      Os pots, cts de 250k, apesar de que fiquei com dúvida deppis que vi que o paulo instalou pots de 500, mesmo usando single coils... tens alguma opinião sobre isso?

      Também vou comprar, jack novo e chave seletora nova. Tarraxa acho q não vou mexer não. Vamos ver como vai ficar a guita, ehehe.

      Valeu, grande abraço!

      Delete
    4. É uma boa estratégia essa do captador. Falei do Rosar pq é realmente muito bom pra quem quer um mix do som vintage com corpo pra drive e rock, sem soar excessivamente agudo.

      Essa ponte Wilkinson com saddles de latão é a configuração clássica e é bacana sim. Passo os detalhes sobre pontes de tele no post do final de semana !:-)

      Rapaz, eu prefiro 250K sempre pra Strato e Tele clássicas com singles de baixa saída. Já tentei 500k algumas vezes e eles sempre soam asperos e com excesso de agudo.

      Aquela Tele Fender de 68 que o Paulo tem é um bicho estranho.. rsrs Fala como um monstro e tem pots de 500k, e nada sobra.. Aquela guitarra ainda é um mistério pra mim e todas as vezes que eu tentei replicar a config dela em alguma outra guitarra não deu certo !

      Delete
  4. Olá Júnior, o Paulo May sugeriu que eu solicitasse tua ajuda. É o seguinte: Comprei dois Dimarzio Malmsteen (DP 116 e DP 117), usados. Foi no meio de outras peças, saiu bem em conta. Entretanto, antes de eu desmontar minha guitarra pra testar os dois, fui verificar a capacitância, e me parece que o 117 está com problemas. Como sabido, nesses Dimarzio são quatro fios (branco+preto, juntos; vermelho (positivo) e verde (terra). Enquanto que o 116 marca por volta de 14.9k (verde - vermelho), o 117 não registra nenhum valor se aferidos o vermelho e o verde; entretanto, marca próximo de 9 k quando mensurados o conjunto preto/branco com qualquer um dos outros dois fios. Achei esquisito, pois o captador está intacto, e na parte interna há inclusive uma proteção aos fios; não parece haver qualquer dano. Veja: http://imageshack.us/a/img585/8996/020420131101.jpg
    http://imageshack.us/a/img23/5356/020420131111.jpg
    O que pode ter ocorrido?

    ReplyDelete
  5. Hoje separei as bobinas, tirando o parafuso que segura as duas. Medi novamente. Havia me enganado com os valores. Qualquer uma das bobinas, quando aferida individualmente (superior/preto+vermelho e a inferior/branco+verde), mede 13.9k. Isso sugere que não há ruptura dos fios. Entretanto, quando colocadas juntas (os fios branco e preto soldados), não há qualquer leitura entre vermelho e verde. Achei estranho; me parece que se conectar qualquer uma das bobinas à elétrica da guitarra, haverá um single de 13.9 funcionando, não?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Pedro, estranho seu relato. Se está lendo as bobinas de maneira individual pelos fios, não há pq não haver leitura com elas em série. Pelo que vc descreveu os códigos de cores estão corretos também.

      Pode parecer bobo, mas vc verificou a escala de leitura no Multimetro? Se vc estive lendo duas bobinas de 13K em série vc vai ter mais do que os 20k da escala que normalmente usamos pra ler captadores pois dificilmente eles passam de 20k mesmo. No entanto os dimarzio Stack como os HS-2 usam um fio ultra fino de alítissima resistência e a resistência DC é bem alta mesmo. Já cometi esse erro !:-)

      Quanto a sua segunda pergunta sim, no caso de vc ligar somente uma bobina terá um single de 13k ligado, mas tome cuidado pois essa leitura não deve ser comparada a de um single tradicional pela questão do fio que comentei. 13K enrolados com fio tradicional de Single de strato não caberia fisicamente numa bobina tradicional.

      Me conte dos resultados depois !
      Abraço

      Delete
    2. Kkkkkk! Totalmente prosaico, mesmo. Não me atentei para esse detalhe do multímetro, já que só utilizo singles clássicos, que ficam sempre entre 5 e 7 k. Esse DP 117 está marcando (agora no local correto) incríveis 25.9k:
      http://img11.imageshack.us/img11/6126/030420131171.jpg
      Abraço, e obrigado pela atenção.

      Delete
    3. rs Show Pedro!! Não se assuste, a DiMarzio usa uns fios alienigenas nesses Stacks de alto ganho como o DP117, por isso a leitura vai la em cima!! :-)
      Abraço

      Delete
    4. Oscar, preciso de mais uma luz sobre os Dimarzio DP 116 e 117: estou montando um pickguard pra testar esses captadores. Entretanto, observei que o fio vermelho está soldado junto com o 5º fio (desencapado). Salvo engano, nos Dimarzio o fio vermelho é ligado na chave, e o verde é o terra, certo? Se for isso mesmo, me parece confuso ligar O VERMELHO e o DESENCAPADO juntos na chave... Estou na dúvida de a solda que estava no captador está correta. Não quero ver fumaça na hora de plugar a guita, :)
      Abraço

      Delete
    5. Pedro, o desencapado é o terra e deve ser soldado no potenciometro junto com o Verde de acordo com o esquema da DiMarzio como vc comentou. O que pode ter acontecido é o dono anterior ter sido obrigado a inverter a fase do captador por utiliza-lo com um outro modelo de polaridade invertida qualquer. Nesse caso, soldar o vermelho no terra e o verde na chave "funcionaria", mas inverte toda a fase do bobinamento do pickup alterando também sua resposta por se tratar de um Stack (humbucker). Pode soldar o vermelho na chave e o verde junto com a malha no terra que vc está tranquilo!

      Delete
  6. Oscar, vou aproveitar teu conhecimento para mais um esclarecimento, se possível. É o seguinte: comprei esses DP num lote com mais um terceiro captador. O vendedor não sabia nada a respeito (inclusive, descobri que dois eram Dimarzio quando chegaram; comprei o lote apenas para montar um pickguard vazio que tenho, e achei que fossem captadores simples, pelo preço). O cara não sabia dizer sequer se eram cerâmicos ou alnico, e não postou fotos da parte de trás :)
    Pois bem, o terceiro cap parece bem vintage, e mede 6.2k. Veja:
    http://imageshack.us/a/img826/2386/dsc07368eq.jpg
    http://imageshack.us/a/img819/888/dsc07360r.jpg
    http://imageshack.us/a/img641/7839/dsc07356z.jpg
    Alguma idéia? A base é de fibra, como os '54 da Fender que tenho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Não desocnheço a marca, mas olhando da pra assumir algumas coisas:
      1 - A base cinza (grey bobin) sugere que possa ter pertencido a alguma guitarra reissue dos anos 60-70.
      2 - A resistência perto de 6.2k tbem sugere tbem o mesmo período. Definitivamente saída comparável aos vintage Strat!
      3 - O fio plástico sugere um captador moderno. Pode ser de uma re-edição japonesa de uma Strato 60 ou aglo do genero.
      4 - São alnico com certeza!! Ceramicos tem a barrinha colada na parte de baixo.

      O jeito é ligar e testar pra ouvir o bicho !:-)
      Abraço


      Delete
    2. Bem, a única coisa que eu tinha certeza era mesmo sobre o alnico. Estranhei particularmente os fios de plástico, pois os fios vintage seriam mais prováveis, em combinação com o restante. Também o enrolamento dele é com o fio mais escuro que já vi. A dureza é que só tenho uma guitarra, é complicado ficar desmontando pra testar :)
      Abraço

      Delete
    3. Oscar, matei a charada sobre o captador vintage do qual lhe pedi informações. É nada menos do que um Fender 1975. Comparei com alguns anúncios do e-bay, como este: http://www.ebay.com/itm/VINTAGE-1976-FENDER-STRATOCASTER-GUITAR-ORIGINAL-PICKUP-STRAT-USA-1970s-/281088844370?pt=Guitar_Accessories&hash=item4172336252
      O vendedor tava falando sério quando me disse que desconhecia as especificações do produto... Vou deixá-lo EM DEFINITIVO na ponte da minha strato, rs
      Abraço

      Delete
    4. Boa Pedro!! Faz sentido pelo fio e período mesmo!!
      Sorte grande !:-)
      Abraço

      Delete
  7. Olá Oscar! Os sample do Rock Surf 43 não estão tocando aqui, estou muito interessado nesses pickups, queria muito ouvir seu som. Não teria como postar de novo? Obrigado.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Guilherme!

      Segue os links dos arquivos do Rock Surf 43! Algo aconteceu que não ta rolando aqui. Acho que o 4Shared mudou algo!

      http://www.4shared.com/mp3/AhRz4EkE/rock_surf_43_bridge_clean.html

      http://www.4shared.com/mp3/csuymjkd/rock_surf_43_bridge_crunch.html

      Abraço!!

      Delete
    2. Agora consegui ouvir esse danado! Que som!! Acho que encontrei o captador pra ponte da minha strato! Obrigado por disponibilizar os links, foi de grande ajuda! Grande abraço!

      Delete
  8. Oscar, tenho um strato de ash com captação Malagoli Blues. Procuro justamente essa aproximação com o som de uma tele usando o captador da ponte. Você acha que o Rock Surf 43 é uma boa nessa posição para meu caso (ash + malagoli blues)?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Julio, som de tele na Strato é complicado pois a ponte da Tele tem influencia direta no som além do captador propriamente ditto. A Seymour tem o TwangBanger que diz ser o captador de ponte de Strato com timbre de tele, mas eu nunca testei. O RockSurf seria mais pra um P90 do que um de tele propriamente dito eu acho, é um single com médios e aytaque mais agressivos e menos agudos!

      Delete
  9. Oscar, perdoe-me pelo incômodo, mas ainda sobre a captação da minha strato, cheguei a conclusão de que não gostei do Malagoli Blues. Não parece uma strato vintage. Toco com um ts9 e queria aquele som sessentista, mais característico. O que me aconselha? Um Fullerton no braço e meio? Valeu!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Julio, recomendar captadores é uma coisa meio complicada, mas se vc quer sessentista com referência em Hendrix e etc, eu diria que o Rosar CBS64 (mais fraquinho e delicado) ou o Rosar Blues (um pouco mais de corpo e força). Ambos pra mim tem som classico de Strato, mas em versões diferentes. Aí vai do seu gusto e do que vc quer, o Blues vai empurrar o seu TS9 um pouco mais, já o CBS vai soar mais delicado nos cleans. Da uma olhada que no U2B tem dois videos meus tocando com eles. Da pra perceber bem a diferença e te ajuda a escolher o que mais lhe agrada !

      Delete
  10. Mais uma vez obrigado, Oscar!

    ReplyDelete
  11. Oscar, mais uma ajudinha! Rs.... Qual sua análise comparativa entre o CBS64 do Rosar e o Fender Custom Shop 69? A qualidade é equiparada? E os timbres, quais diferenças você pode apontar? Valeu!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Julio, o CS69 é mais magro e percussivo que o CBS que tem um som mais cheio apesar de ambos terem ganho próximo. Muita gte estranha a magreza do CS69, mas é característica dos caps dos anos 70 mesmo. De novo, vai de gosto...

      Delete